Pipas de diversas cores e tamanhos no céu de Barra Longa

A criatividade dos moradores de Barra Longa ganhou asas e o céu da cidade. O Festival de Pipas, Papagaios e Raias, que recebeu o nome de Menino Passarinho nas Asas do Canário, aconteceu pela segunda vez e, como no ano passado, divertiu as famílias que aguardavam ansiosas pelo evento.
“A comunidade perguntava o tempo todo se iríamos fazer outro festival. Por causa da pandemia, tivemos que analisar melhor e, após estudarmos bastante a possibilidade de realizar um evento seguro, decidimos fazer”, contou Onésima Mourthé, coordenadora do “Projeto Barra Longa: Presente do Futuro, Saudável”, realizado em parceria com a Fundação Renova.

Para todas as idades

Além da garotada, os adultos entraram na brincadeira. Maria Célia Severino Cupertino, de 60 anos, não só participou, como foi a grande campeã no quesito originalidade, sustentabilidade e criatividade.
“Fiquei tão feliz quando soube que tinha ganhado. Eu pulei demais de
felicidade. Pulei igual menina”, disse Maria Célia.
Criar e brincar com uma pipa foi uma experiência inédita para ela “Eu sempre trabalhei, desde pequena. Não sabia o que era me divertir desse jeito. Nesse festival eu pude ter a infância que eu não tive quando era criança”, comentou Maria Célia. Juntinho dela, o neto, João Ricardo Cupertino, de 11 anos, também entrou na disputa. Ele concorreu no quesito maior pipa e ficou em segundo lugar, título que conquistou na edição de 2019. “É a segunda vez que participo e ganho. Já estou doido para o festival do ano que vem. Vou fazer uma pipa bem maior que essa”, afirmou.

Cuidados

Os cuidados contra o coronavírus foram fundamentais durante o festival. Os participantes e a equipe organizadora ficaram atentos ao uso da máscara e ao distanciamento entre as pessoas, quando necessário. Quem pisasse na bola, seria desclassificado. No fim, todos que seguiram as regras se divertiram à beça. “Eu achei muito bom, ainda mais que nessa quarentena a gente não tem muita coisa para fazer. Deu para ocupar a mente e me divertir”, disse o vencedor do primeiro lugar na modalidade menor pipa, Iury Martins de Jesus, de 11 anos. O evento só foi possível graças a muitas parcerias. “Não podemos nos esquecer de agradecer o apoio da Polícia Militar e da Prefeitura de Barra Longa, que estão conosco desde o ano passado. Elas nos ajudaram bastante na divulgação e fizeram ações de conscientização, como a importância de não usar linhas cortantes”, destacou Onésima.

Fonte: http://www.cpcd.org.br/wp-content/uploads/2020/09/E12_Terra_da_Gente_whatsapp_otimizado.pdf

Publicações recentes

Para passar o mundo a limpo

Uma conversa sobre a importância da resistência do território, da educação e da cultura em meio ao isolamento social – e um desafio para a escola pós-pandemia: como garantir aprendizado a todas as crianças?

Ler mais »