Projeto Casa Saudável na Vila Pindaré

Projeto Casa Saudável na Vila Pindaré

A segunda fase do Projeto Casa Saudável na Vila Pindaré em Buriticupu inicia-se com a oficina do Banheiro seco compostável.

Ao longo desses meses de implementação o projeto tem promovido experiências que valorizam os saberes da comunidade, tem buscado incentivar e divulgar o uso de tecnologias socioambientais, cujo objetivo principal é o de fomentar uma outra relação com o lugar onde vivemos – mais harmônica e integrativa.

Já é possível perceber que a comunidade está impactada positivamente pela construção das caixas e, isso se evidencia no interesse e na curiosidade pelo Banheiro, que com certeza, focaliza o maior problema social da Vila Pindaré:  Oitenta por cento dos quintais não tem banheiro. As pessoas, principalmente as crianças, convivem com dejetos a céu aberto ou enterrados no quintal sem nenhum cuidado, dividindo espaço com animais e cisternas/poços que abastecem a casa.

Iniciamos nossa primeira oficina de banheiro no dia 24 de março. 25 pessoas se inscreveram para aprender a construir o banheiro, sendo oito mulheres e a grande maioria do grupo jovem. Outra observação é que a maioria dos inscritos recebeu a caixa e faz parte do projeto, apenas 3 não receberam.
Dessa turma selecionaremos a equipe que assumirá a replicação dos banheiros na comunidade.

A oficina é pratica e ao mesmo tempo que experimentamos o modelo ideal para a Vila, construiremos os primeiros banheiros.

A rua escolhida foi a Planalto, onde tem casa próximas – todas já com caixa dágua, A primeira casa é a de Dona Luísa, o critério foi o interesse em ser o primeiro e as condições favoráveis do quintal, com espaço bastante para receber muitos aprendizes.

Escolhemos trabalhar na construção de um banheiro seco, buscando agregar num mesmo sistema diversas perspectivas ambientalmente justas e inteligentes.

O banheiro Consiste em um sistema com duas câmaras, acima do nível do solo, voltada para a face norte (face do sol). O processo de utilização é muito simples: a decomposição se dá com altas temperaturas (entre 37°C e 70°C), e a partir do acréscimo de uma pequena porção/ medida de serragem ( sempre que for utilizado) para o processo de compostagem.

Após 6 meses substitui-se a câmara que ficará por mais 6 meses ao sol, só então poderá ser aberta e o material utilizado como adubo.

 Na estrutura do banheiro seco utilizaremos algumas técnicas de Bioconstrução como a Taipa, já de domínio da comunidade, porem com tecnologias mais elaboradas que garantirão melhor estética e mais durabilidade

O modelo trabalhado na oficina apresenta como vantagens a não utilização de água, fácil execução e manutenção, sem odores, não polui e não apresenta riscos a saúde, evitando o lançamento de dejetos na quintal, como a maioria das pessoas fazem. Além do que auxiliará na produção de composto orgânico para nossos cultivos.
Através do banheiro seco, é possível ainda ensinar o método cíclico da natureza, onde nenhum recurso pode ser desperdiçado.

OBS:

O Projeto Casa Saudável é uma parceria entre a Fundação Vale, o Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento – CPCD, Secretária de Estado de Saúde do Maranhão e a Prefeitura Municipal de Buriticupu. Teve início em agosto de 2013 e acontece na Vila Pindaré – comunidade assentamento do município de Buriticupu.

Fonte: Blog Jô Fernandes

Deixe uma resposta

Fechar Menu

Projeto Cuidadores em Saúde

Cuidar da saúde das pessoas de 6 comunidades maranhenses e quilombolas pelo lado cheio do copo. Como? Focando na promoção da saúde feita pela própria comunidade, vizinho cuidando de vizinho. Conheça o projeto “Cuidadores em Saúde” e inspire-se!